• Nelson Melo

A capacidade de reconhecermos os pontos fracos nos torna fortes

Atualizado: Abr 14

A vida é uma parábola. Do ponto vista da Física, a menor distância entre dois pontos não é uma reta, mas, sim, uma curva. Geometricamente, isso tem sentido. Porém, no cotidiano, para além das descobertas de Isaac Newton, tudo parece sugerir uma contradição ilimitada. Isso acontece porque, no campo mental, as aparências enganam. Toda força começa na fraqueza. Seria algo confuso, mas representa uma verdade essencial para nossa sobrevivência diante das adversidades.



O excesso de vaidade impediu que Aquiles reconhecesse suas próprias fraquezas emocionais


Reconhecer os próprios erros é algo admirável. Em si, isso já é um sinal de força. Sem essa conduta, nada muda, o que nos torna vulneráveis quando a situação é mínima ou máxima. A melhor estratégia é dizer para si mesmo que não acertar não é o fim do mundo ou que zumbis surgirão no meio da multidão. Uma oportunidade de recomeço pode significar um buraco na pista ou um quebra-molas. Se tudo se apresentar como irreversível, pode ser uma ideia construída como auto-sabotagem emocional.

O que menos precisamos, em qualquer circunstância, é o pensamento de que somos fracassados só porque estamos sofrendo por algo, aparentemente, maior do que nossa vontade de vencer. Uma crise não é inventada. Pelo contrário, é real, mesmo que ocorra apenas no aspecto psicológico. Da roda para o automóvel não existe tanta diferença assim, pois um item foi fundamental para o surgimento do outro. O que está pronto é o resultado de componentes pequenos, que são ignorados quando o assunto é tecnologia ou egocentrismo.



Admirar a natureza interna nos possibilita contemplarmos autenticamente a natureza externa


Cada peça resulta na totalidade. Construir é manter. Uma pequena vitória já é vitória. Portanto, merece ser comemorada, mesmo que seja sem champagne ou banquete ao estilo de Platão. No íntimo, essa força mostra quem realmente somos: seres que conquistam desde a infância. Quando o bebê consegue se sentar, é uma alegria para os pais, que não nasceram adultos. Quando a criança começa a demonstrar, cientificamente, que é bípede, o sorriso comprova que os primeiros passos não são esquecidos, muito menos a origem dos mamíferos.

Treinar o cérebro é tão importante quanto treinar o corpo. Quando alguém se olha no espelho e reconhece seu valor, a imagem se torna repleta de matizes, como se fosse a pintura a óleo de um artista que também começou pequeno. Sem o órgão protegido pelo crânio, nem mesmo a visão seria possível. Por isso que a autoestima é um ponto crucial para o começo de qualquer processo de luta na vida. A humildade, quando a pessoa não sente nojo por quem é, tem ligação imprescindível com os avanços. O mundo é uma escola, cujos professores não são mais inteligentes ou espertos.

Valorizar cada parte da sua existência é o início de uma prevenção ou superação de qualquer crise ontológica. Basta que você faça uma autopercepção, detectando, conscientemente, cada detalhe do seu corpo, dos pés até a cabeça. A partir daí, verifique onde você está e como chegou até ali. Veja as vantagens e desvantagens, mas nunca faça cobranças desnecessárias. Somente assim conseguirá notar, de forma imparcial, sua força a partir das fraquezas. Não é uma comparação. Na verdade, é uma relação.



Humildade é uma virtude que mostra nosso verdadeiro valor e força nas situações


O autoconhecimento é o resultado dessa autoanálise. Pode ter certeza de que cada pessoa está em níveis diferentes de conquistas, mas isso já é o suficiente para que você tenha a motivação necessária para reconhecer até aonde pode chegar, sem medo de demonstrar que recuou em alguns momentos da caminhada. Viva o presente como se fosse para sempre. Cada decisão é um retiro espiritual, no qual a morte se afasta de nós sem nunca ter sido convidada para entrar em nossas vidas.

44 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.