• Nelson Melo

Agente de portaria pede doação de brinquedos para crianças em São Luís

“Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado. E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado”. Segundo Jesus, somente o bom samaritano teve piedade do agredido. Pessoas que se preocupam com os outros não são encontradas apenas em parábolas. O agente de portaria Flavio Benedito, que mora em São Luís/MA, realiza um lindo projeto que beneficia mais de 700 crianças no Bom Jesus, no Polo Coroadinho.

O agente de portaria Flavio Benedito nasceu em São Bento/MA e mora em São Luís/MA

Em entrevista que concedeu ao meu site, Flavio disse que o nome do projeto é “Faça uma criança feliz”, que já acontece há muito tempo, como resultado da compaixão dele para com o próximo, sobretudo com relação àqueles que têm poucos recursos financeiros até mesmo para comprar pão. Natural da cidade maranhense de São Bento, Benedito pontuou que realiza a ação filantrópica em sua residência, no bairro Bom Jesus, onde a garotada se reúne para participar de um momento recreativo e interativo. Durante as atividades lúdicas, os meninos e meninas recebem os brinquedos, que são doados por quem possui um bom coração, como dizem metaforicamente.

De acordo com o agente de portaria, além dos brinquedos, as crianças também recebem doces, incluindo bombons, igualmente doados para o projeto. Os interessados em ajudar podem entrar em contato com Flavio Benedito pelo número (98) 99908-3088 (WhatsApp). Ele já está recebendo as doações, que serão entregues em 12 de outubro para a garotada de sua comunidade, que tanto precisa de investimentos em vários campos, como saúde, educação, infraestrutura e lazer.

Flavio Benedito entregando os brinquedos às crianças durante o projeto no ano passado

Compaixão e paixão

Na parábola de Jesus Cristo, o bom samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. “Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e lhe disse: ‘Cuide dele. Quando eu voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’”. A misericórdia é um sentimento de solidariedade, sendo caracterizada como uma ação que distribui paz e harmonia, beneficiando a sociedade, e não apenas uma pessoa.

“Vá e faça o mesmo”. O que Jesus pediu contém a verdade sobre a compaixão, que, quando feita com paixão, alcança um status de autenticidade e espontaneidade para quem oferece ajuda. Ajudar o próximo não significa ser aplaudido. A questão é mais interna do que externa. A ideia de gratidão, resumida no famoso “dever cumprido”, deve suplantar a vaidade. Portanto, é importante cuidarmos das nossas crianças, pois delas é o Reino dos Céus. Cada brinquedo recebido representa um instante de felicidade, por mais que a vida seja árdua, com muitos problemas que impedem a manifestação voluntária da alegria.

O bom samaritano teve compaixão do homem agredido na parábola citada por Jesus Cristo

Paixão e compaixão não são sinônimos, mas são equivalentes no campo da benevolência. Um ato voluntário é um ato generoso. Servir é contribuir. E, assim, conseguimos construir, aos poucos, um mundo mais aberto ao amor, à compreensão e à solidariedade.

10 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.