• Nelson Melo

Com duas facções em guerra, Bequimão já foi área da ‘Mensageiros de Cristo’

A guerra urbana, como vocês sabem, é um dos focos da pesquisa que faço sobre o crime organizado no Maranhão, com ênfase na Grande Ilha – São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. No ano passado, durante uma palestra na Universidade Estadual do Maranhão (Uema), na capital maranhense, o pesquisador paraguaio Juan Martens me falou que, pelo trabalho que realizo, sou, na prática, um criminólogo. De fato, gosto de estudar o crime organizado. Aqui, está ocorrendo um clima tenso entre duas facções criminosas na área do Bequimão. No entanto, aquela região, na década de 1990, era território de apenas uma gangue.


As forças policiais do Maranhão já realizaram várias operações no "Poeirão" e adjacências

Como está sendo veiculado na imprensa maranhense, o último fim de semana foi violento na região do Bequimão e Angelim, em São Luís/MA, pois houve duas mortes lá. Uma das vítimas foi carbonizada. Essa situação, de acordo com minhas fontes da pesquisa, tem relação direta com a guerra urbana entre o “novo” Primeiro Comando do Maranhão (PCM) e o Bonde dos 40. As duas facções estão se estranhando e trocando ameaças. Por conta desse contexto de conflitos, as forças policiais estão realizando incursões no local, a fim de evitar um ou mais confrontos, que podem matar inocentes nos combates.

O Esquadrão Águia, do Batalhão de Choque, aliás, já encontrou, nesta terça-feira (25), uma motocicleta roubada durante as rondas. Infelizmente, os rumores de que a “trombeta” será tocada a qualquer momento naquela região são fortes. Os moradores estão desesperados. A informação que apurei com meus contatos é que o Bonde dos 40 pretende invadir o “Poeirão”, onde o PCM tem “quebradas”. Naquele trecho, onde ficam apartamentos inacabados, a tensão já é a regra, em virtude da ameaça de uma ofensiva de faccionados.

Eu e o pesquisador paraguaio Juan Martens na Uema posando com exemplar do meu livro

Área da MC

O engraçado é que, na década de 1990, toda aquela região era dominada pela “Mensageiros de Cristo” (MC), incluindo o Rio Anil. Naquela época, essa gangue era inimiga da “Falange Azul” (FA), que ficava na Vila Palmeira, que, atualmente, está sob domínio total do Bonde dos 40. Até pouco tempo, o Comando Vermelho (CV) tinha algumas “quebradas” ali. A MC, de acordo com informações que obtive para a pesquisa, tinha um grupo aliado: a “Pichadores Rebeldes” (PR), cuja “base” era no bairro Macaúba, nas proximidades da Madre Deus, na região central de São Luís.

Os membros dessa PR ficavam reunidos na região da “Vala” da Macaúba. Conforme meu contato, a “Mensageiros de Cristo” se desintegrou ainda na década de 1990, logo após a morte de um de seus membros, que era “linha de frente” da gangue. Ele foi morto na cidade maranhense de Lago da Pedra, quando se meteu em uma briga e acabou levando uma facada mortal. Com esse óbito, a MC foi perdendo força e, paulatinamente, encerrou suas atividades.

152 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.