• Nelson Melo

Guias de turismo apresentam belezas do Maranhão pela internet

O setor turístico, como sabemos, é muito importante para o desenvolvimento econômico de qualquer lugar do planeta, uma vez que atua na geração de emprego e renda, além de promover benefícios às comunidades de um local. Com a pandemia da Covid-19, está ocorrendo uma intensificação das atividades virtuais, por conta das aglomerações, que favorecem a transmissão do novo coronavírus. No Maranhão, está sendo realizado o programa “City Tour de Encantos”, por meio do qual guias de turismo apresentam as riquezas do estado pela internet.


A edição desta quarta-feira exibiu a beleza das cachoeiras localizadas em Riachão/MA

A partir do programa, da Secretaria de Turismo do Maranhão (Setur), os guias de turismo têm a oportunidade de obter renda por meio dos serviços que oferecem à população. Nesta quarta-feira (26), foi divulgada mais uma edição do projeto, sendo que a gravação teve início com o profissional Samarony Martins, que, de maneira virtual, apresentou a Rua da Estrela, que fica no Centro Histórico de São Luís/MA, no bairro Praia Grande. Na transmissão, ele mostrou o Museu do Reggae Maranhão e contou um pouco da história do ritmo musical no estado.

O belo teto da Igreja da Sé pintado por João de Deus foi mostrado durante a transmissão



O guia de turismo explicou porque a cidade de São Luís ficou conhecida como “Jamaica Brasileira”. Como ele esclareceu no vídeo, o reggae chegou ao Maranhão na década de 1970. “Existem várias versões, mas aquela que mais o pessoal comenta é que chegou em embarcações que ancoravam no Porto do Itaqui. E ali eles trocavam LPs por bebidas e comidas. E aí se proliferou para as periferias. Não demorou muito, ele ultrapassou as fronteiras do bairro Bacanga, até chegar ao Centro da capital”, relembrou Samarony Martins.

Durante o “City Tour de Encantos”, Samarony também apresentou aos internautas os casarões com três pavimentos, construídos com azulejo português. Na parte de cima, eram residências. Já na parte de baixo, funcionavam comércios. Martins exibiu, ainda, a Rua Portugal, e os lampiões, que à noite, quando estão acesos, fornecem uma beleza incomparável ao local.

Outras apresentações

Ainda como parte da edição do programa da Setur, o guia regional de turismo João Marcelo explicou um pouco da história da Catedral Metropolitana de São Luís (Igreja da Sé), na Praça Pedro 2, região central da capital maranhense. O prédio foi erguido no estilo neoclássico, sendo que a fachada possui duas torres. “Acima, nós vamos encontrar a padroeira de São Luís, que é Nossa Senhora da Vitória. Ao lado, nós temos outra construção, que é o Palácio Episcopal, cujo balcão sacada é de portal de pedra de lioz, que é uma pedra portuguesa que veio nos lastros de navio”, pontuou o profissional.

O guia de turismo Agnaldo Lucena mostrou o Portal da Chapada das Mesas aos internautas



O guia de turismo explicou que a Igreja da Sé é muito rica em conteúdos. Uma das portas é conhecida como “almofada”. Ele mostrou aos internautas uma floreira (pia), toda feita de pedra de lioz e cercada de guirlandas, elementos decorativos que, atualmente, são utilizados nos batizados na Catedral Metropolitana. João Marcelo disse que a pintura do teto foi feita por um artista chamado João de Deus, que realizou sua obra de arte na capela-mor e na primeira nave.

Depois de João Marcelo, outros guias de turismo também se apresentaram, como Juan Manoel Pitacco, nos Lençóis Trekking Rio Negro, em Barreirinhas/MA; Cinthia Noleto, em Poço Azul, no município de Riachão/MA; e Agnaldo Lucena, no Portal da Chapada das Mesas, em Carolina/MA. Segundo informações que obtive no portal do Governo do Estado, o projeto faz parte de um conjunto de ações emergenciais que estão sendo implementadas no setor de turismo, com o objetivo de minimizar os impactos causados pela Covid-19 no Maranhão.

21 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.