• Nelson Melo

Instituto Antonio Brunno e o essencial apoio às pessoas com câncer

Dizem que os nossos maiores problemas não estão nos obstáculos do caminho, e sim na escolha da direção errada. Por este motivo, é importante que cada um de nós tenha consciência de que a vida não é difícil nem fácil, mas condizente com a complexidade do planeta Terra. Temos a opção de seguirmos a felicidade ou a infelicidade. Quando somos alegres, podemos compartilhar isso com os outros. O Instituto Antonio Brunno, localizado em São Luís/MA, é um desses ambientes que coloca a vontade de viver sempre como prioridade, ainda mais para pessoas que precisam frequentemente de um apoio físico, mental e espiritual, como é o caso dos pacientes oncológicos, à proporção que estes também transmitem os mesmos valores.



A sede própria do Instituto Antonio Brunno na Cohab foi construída após esforço conjunto


Na noite dessa quarta-feira (21), estive na sede do Instituto, que fica na Rua Frei Hilário, bairro Cohab-Anil, na capital maranhense. Na ocasião, conheci todos os compartimentos do ambiente, sendo que fiquei impressionado com o local, não apenas no que tange à parte estrutural, como também à parte humana. Atualmente, a capacidade de atendimento, na rotatividade, é de 5.000 pacientes, que são oriundos, em quase 100% dos casos, do interior maranhense, de cidades como Viana, Matinha, Vitória do Mearim, dentre outras. Mas a entidade recebe, ainda, pessoas de outros estados, como o Pará, por exemplo.

No “Brunnário”, a história de Antonio Brunno é contada em fotos, documentos, roupas, calçados, fantasias de palhaço, livros, materiais religiosos e outros objetos que ele utilizava. Tudo está devidamente preservado. É impossível vislumbrarmos o ambiente sem nos emocionarmos, porque ali está o registro de um homem que nunca desistiu de viver, mesmo em seus instantes finais na Terra, onde ele soube ajudar o próximo sem pedir nada em troca. O sorriso das pessoas já era o suficiente como resposta. A compaixão é uma virtude que nos coloca na condição de humanos autênticos, pois não basta apenas passarmos pelo planeta sem dedicarmos uma parte do tempo em prol da solidariedade.

A biografia de Antonio Brunno é contada em fotos e objetos para os visitantes do Instituto


Além do “Brunnário”, também conheci outros pontos do prédio, como a biblioteca, o auditório, o consultório odontológico, a “brinquedoteca”, a sala de jogos, o refeitório, os apartamentos e o atendimento psicológico. Confesso que senti uma paz enorme quando entrei na Capela Frei Galvão, onde são realizadas missas aos sábados. Nesse local, cuja decoração é harmônica, há uma formosa pintura da “Santa Ceia”. Há, também, dentro de uma caixa, os ossos do Antonio Brunno, que foram retirados do Cemitério Jardim da Paz, na Grande Ilha, após os trâmites judiciais iniciados pela família.

Isso significa que Antonio Brunno está presente o tempo todo no Instituto, para além das lembranças de quem ele amou e ajudou. Também significa que a imagem dele já é eterna não apenas na memória dos amigos, familiares e admiradores, como também numa dimensão espiritual, no sentido transcendental. O que ele idealizou se concretizou. E agora centenas de pacientes oncológicos estão sendo beneficiados de maneira gratuita, isto é, sem pagar nada. Destaca-se, dentro desse projeto que deu certo, o trabalho dos voluntários da entidade, além de quem fez sua doação para que o prédio fosse levantado.

A harmônica Capela Frei Galvão é um dos locais mais bonitos do Instituto Antônio Brunno



A casa de apoio às pessoas com câncer sobrevive de doações, que possibilitam a oferta de serviços gratuitos aos pacientes e acompanhantes, de todas as faixas etárias. Caso você queira ajudar, pode depositar/transferir qualquer valor às seguintes contas bancárias: Banco do Brasil (agência: 4288-9/conta: 34.793-0)/Caixa Econômica (agência: 1576/conta: 4735-0/Operação: 003). Também é possível realizar o ato filantrópico por meio de um carnê, que está disponível na sede da entidade, situada ao lado do prédio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) da Cohab-Anil IV.

O telefone fixo do Instituto é o (98) 3181-0016. Mas você também pode entrar em contato por meio dos seguintes números: (98) 98401-6636/98856-7471 (Antonio); 98825-5472/98537-8299 (Fátima); 98459-9832 (Adriana) e 98415-8712 (Denis).

O Instituto

Com uma rica história em filantropia e solidariedade, o Instituto Antônio Brunno foi fundado em 2011 por Antonio Brunno Pessoa de Sousa, que faleceu naquele ano após ter adquirido um câncer em 2010. Em setembro de 2019, eu entrevistei a psicóloga Adriana Pessoa, irmã dele, quando eu trabalhava no Jornal O Estado. “O Instituto sobrevive de doações. Nós acolhemos paciente com câncer do interior do estado. O Instituto surgiu com a ideia do meu irmão. Antes de falecer, ele deixou essa história de que, quando voltasse de São Paulo, do tratamento, montaria uma casa de apoio para acolher esses pacientes”, salientou naquela ocasião.

O Instituto começou no Cohatrac e depois passou para o Planalto Anil antes da sede própria


“É por ele que a gente continua nessa casa e acolhendo essas pessoas que tanto precisam”, frisou Adriana Pessoa durante aquela entrevista. Convém ressaltar que o Instituto passou um bom tempo sem uma sede própria, o que foi conquistado no final de 2019, após esforço conjunto da família e amigos. A entidade ficou abrigada, primeiramente, no Cohatrac. Em seguida, no Planalto Anil II. Com a força de vontade de todos os envolvidos, o prédio na Cohab-Anil foi erguido, sendo sustentado por Deus, a Quem Antonio Brunno serviu com muito amor e fé, sem medo do futuro, porque o momento presente era o que realmente importava para o jovem e experiente cristão.

O jovem Antonio Brunno dedicou sua vida para ajudar o próximo de maneira gratuita

71 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.