• Nelson Melo

Medidas preventivas contra coronavírus nos presídios do Maranhão

Declarado uma pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o coronavírus está se espalhando pelo mundo de maneira devastadora. No Brasil, já são 98 casos confirmados e 1.485 suspeitos, segundo o Ministério da Saúde declarou nesta sexta-feira (13). Inclusive, há situações de transmissão comunitária nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Devido ao cenário caótico, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) está adotando algumas medidas preventivas contra a doença nas unidades prisionais do Estado do Maranhão.



A Seap disse que as medidas estão sendo adotadas para impedir a entrada do vírus



De acordo com informações divulgadas pela Seap, dentre as orientações para evitar um possível contágio, estão a distribuição de folders explicativos para os familiares dos detentos. Além disso, estão sendo realizadas palestras aos internos. O objetivo é passar recomendações básicas para prevenir a infecção, como, por exemplo, para que os visitantes lavem as mãos com água e sabão (líquido ou espuma) por aproximadamente 40 a 60 segundos, ou com álcool em gel, por 20 a 30 segundos.


A Seap também está recomendando que os visitantes não se esqueçam de espalhar o produto e limpar as regiões entre os dedos e ao redor das unhas, como orienta o Ministério da Saúde e infectologistas brasileiros. As ações incluem, ainda, dicas sobre a maneira correta de tossir, para impedir uma possível transmissão do coronavírus para os detentos, servidores que trabalham nos presídios ou entre os familiares dos internos, em todas as unidades espalhadas pelo Maranhão.


Convém ressaltar que as medidas estão sendo realizadas pelas Supervisões de Assistência à Família (SAF) e de Saúde (SAS) da Seap.



Uma das recomendações dos infectologistas é lavar bem as mãos até a altura do pulso



Coronavírus no Maranhão


Sobre o Covid-19 no Maranhão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou, nesta sexta-feira, que continua realizando o monitoramento de cinco casos suspeitos da doença, por meio do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). Essas situações envolvem um homem, duas mulheres, uma adolescente e uma criança. Esses pacientes foram orientados para o isolamento domiciliar, depois que receberam atendimento na rede hospitalar privada.



A pandemia de coronavírus mudou os hábitos das pessoas. Foto: Reprodução/Agência Brasil



Segundo a SES, o homem tem 46 anos, com procedência de Milão, na Itália. Uma das mulheres tem 47 anos, que teve contato com alguém sob suspeita de estar infectado pelo Covid-19. A outra tem 63 anos, com histórico de viagem para Nazaré, Fátima e Óbidos, em Portugal. O adolescente tem 15 anos, com procedência de Santa Bárbara, cidade da Califórnia, nos Estados Unidos da América (EUA).


Já a criança tem 4 anos, com histórico de viagem para Miami e Orlando, nos EUA. De acordo com a SES, esses pacientes permanecem em monitoramento e investigação, o que inclui envio das amostras coletadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen/MA) para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, em Belém, no Pará.

“Sobre os casos descartados, a SES informa que realizou, anteriormente, o monitoramento de 10 casos suspeitos de COVID-19, sendo oito casos negativos e dois excluídos pelo Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde (CIEVS). A medida foi adotada após revisão dos critérios epidemiológicos, conforme Plano Estadual de Contingência do Novo Coronavírus (COVID-19)”, disse a Secretaria de Estado da Saúde.


Além disso, a Secretaria de Estado da Saúde esclareceu que, com relação aos casos de H1N1 no Maranhão, já foram confirmados 15, pelo menos até a manhã desta sexta-feira.

0 visualização

© 2019 por Nelson Melo.