• Nelson Melo

Palestras sobre prevenção ao suicídio ocorrerão no quartel do 24º BIS

Em setembro de 2017, quando eu trabalhava como repórter no Jornal Pequeno, entrevistei o médico psiquiatra e escritor Ruy Palhano, um dia antes do “III Encontro de Prevenção ao Suicídio”, que ocorreu no Hotel Luzeiros, na Ponta do Farol, em São Luís/MA, promovido pelo Instituto Ruy Palhano e Conselho Regional de Medicina no Maranhão (CRM/MA). Na ocasião, ele me falou que para cada pessoa que tira a própria vida, seis tentam. Por esse motivo, o tema precisa ser debatido, como acontecerá no 24º Batalhão de Infantaria de Selva (24º BIS), na capital maranhense.

A importante campanha nacional "Setembro Amarelo" acontece no Brasil desde 2014

Conforme informações obtidas junto ao 24º BIS, o ciclo de palestras sobre prevenção ao suicídio e valorização da vida iniciará amanhã (10), em parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV), que é uma associação civil sem fins lucrativos, e o grupo Universal nas Forças Policiais (UFP), criado pela Igreja Universal do Reino de Deus em 2018 para prestar apoio espiritual e social aos integrantes da Segurança Pública. O evento será realizado durante este mês, em referência ao “Setembro Amarelo”, que tem como objetivo reduzir o índice de suicídios no Brasil, por meio de debates e outras ações, uma vez que as estatísticas são preocupantes.

O ciclo de palestras sobre prevenção ao suicídio ocorrerá no quartel do 24º BIS

A finalidade do ciclo de palestras, de acordo com o 24º Batalhão de Infantaria de Selva, é apresentar aos militares das Forças Armadas e Forças Auxiliares dados relativos ao suicídio no País e, também, no mundo, bem como suas formas de prevenção e estratégias de valorização da vida. A abertura do evento ocorrerá às 9h, na quadra esportiva do quartel do Exército, no bairro João Paulo, na capital maranhense.

Dados preocupantes sobre suicídio

Na época da entrevista que fiz com Ruy Palhano, ele frisou que os dados eram (e continuam sendo) preocupantes porque, anualmente, acontecem cerca de 12 mil suicídios no Brasil, e, no mundo, essa estatística sobe de forma surpreendente para 1 milhão, representando uma morte a cada 3 segundos. O médico disse que, para cada pessoa que tira a própria vida, seis tentam. “Quem mais tentam são as mulheres, mas quem mais se mata são os homens”, enfatizou o psiquiatra naquela conversa no Jornal Pequeno.

O médico psiquiatra revelou que a depressão é o principal fator que leva ao suicídio, respondendo por 38 % a 40% dos casos em termos internacionais. Na sequência, vêm o Transtorno Afetivo Bipolar, uso de drogas e álcool, Transtorno de Personalidade Boderline e aspectos psicossociais.

Problema de ordem psiquiátrica

Segundo o entrevistado, o envenenamento é o principal meio para que as pessoas cometam suicídio, que ele define como um problema de ordem psiquiátrica, pois homens e mulheres em condições de saúde mental não se matam. As armas de fogo são a segunda forma de tirar a própria vida, sendo que o enforcamento é o terceiro meio. Inclusive, dias antes daquela entrevista, um adolescente de apenas 15 anos se matou na cidade de Paço do Lumiar, na Grande Ilha. Ele havia acabado de chegar em casa voltando da escola e enrolou uma extensão de energia elétrica no pescoço, dando fim à sua vida.



Entrevistei o psiquiatra Ruy Palhano em setembro de 2017 sobre suicídio no Jornal Pequeno

Para reverter esta situação, esclareceu Palhano, é necessário que o Estado invista em políticas públicas na área de Saúde, para prevenir esse tipo de conduta suicida. Uma equipe médica treinada para lidar com a situação é importante, expressou o psiquiatra, no sentido de acolher aquelas pessoas que sobreviveram, ou seja, que tentaram se matar, tendo em vista que o maior fator de risco para o suicídio é a tentativa de suicídio.

Setembro Amarelo”

O “Setembro Amarelo” é realizado no Brasil desde 2014 pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CRM). O “Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio”, dentro desse contexto, é celebrado no dia 10 do referido mês. Todavia, a campanha nacional é registrada durante todo o ano, uma vez que o tema é de extrema relevância social. De acordo com estatísticas recentes, aproximadamente 96,8% das pessoas que tiraram a própria vida fizeram isso por conta de transtornos mentais.

O "Setembro Amarelo" é promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP)

O evento nacional se caracteriza pela realização de caminhadas, palestras e outras ações de conscientização sobre o tema. Em 2017, a ABP e o CFM criaram as “Diretrizes para Participação e Divulgação do Setembro Amarelo”. O documento serve para orientar toda a sociedade sobre a participação na campanha, como utilizar corretamente os materiais de utilidade pública produzidos e de que maneira incentivar o período de reflexão em cada região brasileira.

12 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.