• Nelson Melo

Pedagoga falará sobre danos causados pelo cigarro à saúde do homem

A nicotina, segundo amplamente divulgado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), causa dependência. A substância é encontrada em todos os derivados do tabaco, como cigarro, charuto, cachimbo e narguilé. O uso recorrente pode causar sérios danos ao organismo. O fumante pode adquirir uma doença crônica, inclusive. O tabagista, aliás, integra o grupo de risco no que se refere à Covid-19. A pedagoga Claudiana Miranda Cordeiro, chefe do Departamento de Atenção à Saúde do Adulto e Idoso, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), falará sobre isso no programa “Fala Comunidade”.


A pedagoga Claudiana Cordeiro lidera um departamento na Secretaria de Estado da Saúde

O “Fala Comunidade” faz parte da vasta programação da Rádio Comunitária Ilha do Amor FM (106,3), que fica no bairro Cohab-Anil, em São Luís/MA, sendo que é transmitido sempre aos domingos, das 10h às 12h. O tema do próximo dia 23 será “A Saúde do Homem e o Tabagismo”. Na ocasião, a pedagoga Claudiana Cordeiro abordará vários aspectos referentes ao cigarro, que causa danos não apenas nos homens, como, também, nas mulheres. A nicotina tem relação com vários tipos de câncer, como o de pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga e colo de útero.

Além disso, o cigarro provoca doenças no aparelho respiratório, como enfisema pulmonar e asma, e doenças cardiovasculares, como angina, infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aneurismas, acidente vascular cerebral (AVC) e tromboses, segundo o Inca. Para agravar ainda mais a situação, quem fuma tem maior risco de desenvolver sintomas graves, podendo resultar na morte do paciente, em caso de contaminação pelo novo coronavírus, uma vez que o tabaco prejudica os mecanismos de defesa do corpo humano.



Os tabagistas estão incluídos no grupo de risco para Covid-19 (Imagem: Socesp)

A pedagoga convidada pela Rádio Comunitária Ilha do Amor pretende promover uma reflexão nas pessoas, para que cuidem da saúde e procurem ajuda profissional ou familiar quando decidirem largar o vício do cigarro. O programa “Fala Comunidade” abriu espaço para que Claudiana Cordeiro pudesse fazer esse alerta, tão importante em “tempos sombrios”, como esse provocado pela pandemia da Covid-19.

Dependência do cigarro

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, do Ministério da Saúde, a nicotina, que é encontrada em todos os derivados do tabaco (cigarro, charuto, cachimbo, cigarro de palha, narguilé, entre outros), é uma droga que provoca estragos no metabolismo, fragilizando o sistema imunológico. Essa substância é psicoativa, isto é, produz a sensação de prazer, o que pode induzir ao abuso e à dependência. Essa dependência à nicotina, inclusive, está incluída na Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial de Saúde (CID).


O tabagismo pode causar diversos danos no aparelho respiratório e outras doenças

Ao ser inalada, conforme o Inca, produz alterações no Sistema Nervoso Central (SNC), modificando, desse modo, o estado emocional e comportamento das pessoas, da mesma forma como ocorre com a cocaína, heroína e álcool. Depois que a nicotina atinge o cérebro, libera várias substâncias, que são neurotransmissores responsáveis pela estimulação da sensação de prazer, o que explica as boas sensações que o fumante tem ao praticar o ato.

O cérebro, então, se adapta, como resultado da inalação contínua, o que culmina na necessidade de mais doses, cada vez maiores, para manter o mesmo nível de satisfação que tinha no início da vida tabagista, o que é conhecido como “tolerância à droga”. Precisamos, portanto, respirar novos ares, como se diz no popular, para que o novo coronavírus não possa adentrar em nossas casas quando bem entender.

29 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.