• Nelson Melo

PRF oferece café da manhã com comidas típicas à imprensa em São Luís

A sede da Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal no Maranhão, em São Luís, foi preenchida por integrantes da imprensa, na manhã desta sexta-feira (21). Para muitas pessoas, a primeira ideia que poderia passar na mente seria a de uma entrevista coletiva sobre uma operação. No entanto, na verdade, aconteceu uma confraternização. Um café da manhã delicioso, composto por comidas típicas, foi oferecido pela PRF aos jornalistas e demais profissionais que trabalham nas coberturas, como repórteres fotográficos, repórteres cinematográficos e motoristas.



Foto oficial da imprensa com a PRF durante o café da manhã especial em São Luís/MA



A confraternização começou por volta das 9h. No auditório da PRF, a mesa estava farta. O banquete, que não tinha nada a ver com Platão, estava atraente em todos os sentidos, literalmente. A sinestesia invadiu a percepção de quem entrava no local, pois o cheiro, o sabor e as cores das comidas se mesclaram. Aos poucos, os profissionais da Comunicação Social chegaram à sede para o evento. O café da manhã especial foi iniciado com um discurso do superintendente da instituição no Maranhão, inspetor Paulo Moreno, e de Antonio Noberto, chefe do Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal local.



O superintendente da PRF ao lado de Antonio Noberto quando discursavam no evento


Ambos enalteceram o papel democrático da imprensa no que se refere à informação, nos vários setores da sociedade. Após os discursos, os jornalistas se serviram para saborear o que estava disponível na mesa, como pão e queijo, beiju, canjica, bolos, sucos, juçara com camarão, dentre outras iguarias. “Fizemos um café bonito, caprichado, com coisas da terra. A imprensa no Maranhão sempre presta um grande serviço à sociedade, não só um veículo de comunicação ou outro, mas o conjunto”, destacou Antonio Noberto.



Fui convidado para discursar durante o evento em momento especial (Foto: Gilson Ferreira)



Como repórter, digo que a relação da imprensa com a Polícia Rodoviária Federal é uma das mais seguras que existe, devido a vários aspectos. No Maranhão, essa aproximação ficou mais forte com a atuação do Nucom/PRF, que é uma espécie de canal entre a instituição e os jornalistas. Durante cinco anos, acompanhei, na editoria de Polícia, muitas operações e outras ações desenvolvidas pelos agentes nas sete rodovias que cortam o Estado.


Foram criados dois grupos no WhatsApp pela PRF, que possuem membros da instituição e também profissionais da imprensa. Eu estou em um desses grupos, onde, diariamente, de domingo a domingo, são postados relatórios dos acidentes e outras ocorrências nas rodovias federais que perpassam o Maranhão. É uma forma transparente de sermos informados sobre essas situações, sem omitir dados. Sempre que solicitado, o Nucom/PRF nos recebe com respeito, pois entende que o jornalismo é essencial para a construção da cidadania, atuando como um “Leviatã” no campo social.



A relação entre a PRF e a imprensa é uma das mais seguras do Brasil (Foto: Gilson Ferreira)



O superintendente Paulo Moreno igualmente nos trata como seres humanos, acima de tudo. Eu espero que outras instituições, não apenas as que compõem a Segurança Pública, utilizem essa confraternização como modelo, pois nós da imprensa somos um dos pilares que sustenta a civilização, desde uma época muito anterior ao nascimento de Johannes Gutenberg.

0 visualização

© 2019 por Nelson Melo.