• Nelson Melo

Psicólogo e farmacêutica promoveram reflexões em ‘Jardinagem Pedagógica’

Em vários locais da Ilha do Maranhão, o clima de insegurança pública tomou de conta das emoções do cidadão ludovicense e turistas. Confrontos entre facções criminosas ganharam destaque na imprensa. No entanto, sempre dizem que não podemos observar apenas o lado vazio do copo, pois, enquanto algumas pessoas estão arrancando as raízes da esperança, outras estão plantando o amor. No último fim de semana, em contraponto à violência urbana, ocorreu mais uma edição da “Jardinagem Pedagógica” (JP), no Viveiro Tracajá, localizado na Estrada da Maioba, na região metropolitana de São Luís/MA. Durante o evento, houve palestras de uma renomada farmacêutica e de um ilustre psicólogo.


A "Jardinagem Pedagógica" enfatizou a cidadania e sustentabilidade (Foto: Lídia Cutrim)



Uma das palestras foi apresentada por Kallyne Bezerra, que é coordenadora do programa “Farmácia Viva, Hortos Terapêuticos”, que tem o objetivo de levar saúde e acesso às plantas medicinais e fitoterapia aos municípios maranhenses que possuem baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). De acordo com explicações do pedagogo Camilo Rocha, membro da Equipe Jardinagem Pedagógica e do Comitê Gestor da Praça das Árvores, a farmacêutica fez uma abordagem assertiva e utilitária sobre algumas plantas medicinais e seus benefícios para a qualidade de vida.



A farmacêutica Kallyne Bezerra falou sobre plantas medicinais e saúde (Foto: Lídia Cutrim)





“Ela pontuou a folha da mangueira, o alecrim, sálvia, gengibre e alface com poder terapêutico comprovado e eficaz. Destacou, ainda, o cuidado no preparo e utilização das mesmas”, comentou o pedagogo. Além dela, também palestrou o psicólogo Ruy Cruz, que promoveu uma reflexão no público acerca das questões emocionais vivenciadas nesse período da pandemia da Covid-19. O tema foi propício, aliás, tendo em vista que, realmente, as pessoas estão perdendo o controle de maneira impressionante, devido às tensões decorrentes das ameaças do novo coronavírus. Não podemos nos esquecer de que as ansiedades patológicas estão sendo comuns nessa época tenebrosa.





O psicólogo Ruy Cruz discorreu sobre as emoções em épocas de crise (Foto: Lídia Cutrim)



“Ele falou do autoconhecimento e autocuidado para reagir positivamente diante das crises”, enfatizou Camilo Rocha. De acordo com o pedagogo, houve, ainda, durante a programação da “Jardinagem Pedagógica”, uma oficina de ecodesign ministrada pelo casal Celso Nascimento e Milca Amarante, que demonstraram como transformar um pneu inutilizado em objeto de decoração de jardins e locais similares. Os artesãos trabalham dentro do conceito de Desenvolvimento Sustentável (DS), que aborda questões como controle da poluição, gestão ambiental, responsabilidade social, ecologia industrial, investimentos éticos e economia verde.



O artesão maranhense Celso Nascimento é um mestre do ecodesign (Foto: Lídia Cutrim)



Celso e Milca possuem uma oficina de artesanato na Avenida General Arthur Carvalho, na MA-204, no Residencial Armindo Reis, “Estrada do Val Paraíso”, como é conhecida popularmente. “A JP aconteceu em um espaço aprazível com sombra e ventilação e variedade de mudas ornamentais, medicinais e frutíferas”, complementou Camilo Rocha, que é engajado nas causas ambientais, sociais e culturais, sempre fundamentado no conceito de cidadania, que é essencial para que nós possamos lutar juntos em prol de um mundo mais pacífico e coerente.

Preservar a flora significa manter sua beleza e elegância naturais (Foto: Lídia Cutrim)

24 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.