• Nelson Melo

Um ano de sacerdócio de jovem padre é celebrado em missa no Filipinho

A vida religiosa é algo que, para quem segue, promove o bem-estar espiritual e psíquico, para além das fronteiras do ser, em se tratando do aspecto filosófico e mítico. Acreditar em Deus não é uma escolha, mas um caminho, uma vez que as pessoas são tocadas no íntimo, em um local que não é acessado pela razão ou pela emoção. Essa instância não tem nome nem forma, pois é transcendente. Nesse contexto, a rotina presbiteral se manifesta como uma circunstância divina. O jovem Rodrigo Gutemberg sabe muito bem como ocorre essa revelação ou chamado. Na noite dessa terça-feira (15), ele presidiu uma missa no Filipinho, em São Luís/MA, em celebração ao seu sacerdócio, que completou um ano.


Rodrigo Gutemberg passou por um processo de preparação e estudo até se tornar padre


Reitor do Seminário Arquidiocesano São João Maria Vianney, localizado no Jardim das Margaridas, na região metropolitana de São Luís/MA, Rodrigo, que tem 27 anos, celebrou a Santa Missa na Paróquia de Santa Terezinha, por volta das 19h30. Ele, que é vigário do Santuário Nossa Senhora de Nazaré, no Cohatrac, igualmente na capital maranhense, estava visivelmente emocionado, não apenas porque estava festejando o seu sacerdócio, como, também, em virtude das suas origens na vida religiosa, tendo em vista que era da comunidade do Outeiro da Cruz. Percebe-se, então, uma forte ligação de Gutemberg com a região, não no sentido geográfico, mas sim espiritual.

Na missa, estiveram presentes os familiares e amigos do jovem padre, que, na adolescência, era coroinha na Paróquia de Santa Terezinha. Leigos do Santuário Nossa Senhora de Nazaré também compareceram, para prestigiar o momento importante e especial para Rodrigo, que passou por muitos anos de estudo intenso, com dedicação total à fé, para ser ordenado. A rotina no seminário foi essencial para que ele adquirisse a experiência necessária ao amadurecimento espiritual. Pacientemente, Gutemberg aguardou a chegada da etapa final de preparação. Porém, o processo de aperfeiçoamento e treinamento continua, sendo que ocorre durante toda a vida presbiteral.




A missa foi presidida por Rodrigo na noite de terça-feira na Paróquia de Santa Terezinha


Por este motivo, existe aquele pensamento de que uma vocação exige não o tempo cronológico, mas o “tempo kairológico”, que se refere a Kairós, filho de Zeus com a deusa Tykhé, sendo que representa o instante que não pode ser cronometrado ou previsto, uma vez que é divino. Sendo assim, o que importa não é a quantidade, mas a qualidade. Rodrigo Gutemberg reconhece essa dimensão, tanto que atendeu ao chamado de Deus e se entregou de corpo e alma à missão religiosa. Ele é um padre querido devido às suas homilias, sempre repletas de sabedoria, e pela forma como se comporta no cotidiano.

Atualmente, Rodrigo Gutemberg é reitor do Seminário Arquidiocesano São João Maria Vianney, o Santo Cura D’ars, padroeiro de todos os sacerdotes do mundo, que foi um exemplo de padre e dedicado pároco em Ars, pequena vila da França (Europa), onde ficou durante quatro décadas. Em 24 anos de ministério sacerdotal, atendeu a mais de quatro milhões de peregrinos.

O jovem padre Rodrigo ficou muito emocionado e agradeceu a Deus por sua ordenação




Momento de gratidão e oração

Sem sombra de dúvidas, quem presenciou a missa se emocionou. Familiares e amigos dividiram a alegria ao observarem Rodrigo celebrando na Paróquia de Santa Terezinha, que participou da formação dele na vida sacerdotal, como lembrou a pedagoga Ana Maria Melo Costa. Catequista e integrante da Equipe Litúrgica da referida paróquia, ela expressou que o momento se consolidou como uma homenagem ao primeiro ano de Gutemberg como padre, sendo que o percurso não foi fácil, o que é normal no contexto civilizatório, em virtude da dimensão psicológica do ser humano.

Madrinha do padre Rodrigo, Ana Maria comentou que se sentiu muito feliz ao prestigiar a celebração. “Eu acompanhei a caminhada dele desde quando ele era coroinha, ainda adolescente, e a caminhada dele no seminário, que foi um processo de amadurecimento. Hoje, vendo que ele conseguiu se ordenar e celebrar um ano depois, passa um filme na cabeça de tudo o que vivemos enquanto cristãos para continuar seguindo a vocação. Então, eu rezo todos os dias por ele, porque seguir uma vocação tem seus desafios e suas alegrias”, enfatizou a catequista.



Ana Maria Melo Costa incentivou Rodrigo quando ele atendeu ao chamado para ser padre

A felicidade de Ana Maria é a felicidade de todos que compareceram à Paróquia de Santa Terezinha para participar da celebração eucarística. Rodrigo Gutemberg é esse jovem que está trilhando os caminhos da salvação e da redenção, sempre oferecendo aos cristãos a sua experiência e formação em prol da evangelização. A força dele não é física, mas espiritual. Por meio da fé, montanhas são removidas e pessoas são abençoadas na esperança da vida eterna.

21 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.