• Nelson Melo

Voluntários realizam manutenção de praça no Cohatrac em ação pedagógica

Quando eu era criança, lembro-me de ter lido poemas de um caderno que mamãe possuía. Ela escrevia alguns e se apropriava de outros, de autores desconhecidos ou conhecidos. Em um dos textos, um acróstico dizia o seguinte: nestes mistérios envolvidos/assim como no amanhecer/tenho esperança de um dia/um pássaro sobreviver/Respeito-te natureza/espero não ser julgada/zangada fico às vezes/ao ver-te explorada. Na Praça das Árvores, no Cohatrac IV, em São Luís/MA, voluntários preservam o ambiente no projeto “Jardinagem Pedagógica”.



A participação das crianças no projeto revela que o bom comportamento começa na infância



De acordo com o pedagogo Camilo Filho, um dos voluntários e membro do Comitê Gestor da Praça das Árvores, a ação ocorre uma vez por mês, durante um sábado. No decorrer do turno matutino, o grupo realiza a manutenção do logradouro com seus equipamentos. Algumas pessoas levam crianças para participarem do momento de interação e integração. Isso é importante para transmitir, desde a tenra idade, que devemos preservar a flora e a fauna. Essa conduta será internalizada na forma de respeito pela natureza.


“Grupos distintos participam desse projeto maravilhoso. Nós temos um bom número de integrantes do Comitê da Praça das Árvores na equipe da ‘Jardinagem Pedagógica’. Importante dizer que moradores de outros bairros, como Parque Vitória, Anil e Cidade Olímpica, se juntam aos da região da Cohab/Cohatrac para essa atividade de cidadania”, declarou Camilo Filho. Ainda de acordo com o pedagogo, o projeto já tem 4 anos. Em uma das edições, a professora e fitoterapeuta Terezinha Rêgo palestrou no local, durante um dos momentos de manutenção da praça.


Ação no sábado


A equipe da “Jardinagem Pedagógica” realizou mais uma ação nesse sábado (8), das 8h às 11h. Em ritmo de mutirão, foram realizadas a manutenção de canteiros, renovação de papeleiras e separação de garrafas e latinhas para reciclagem. Além disso, os voluntários, em número de 19, tomaram café ao som de músicas selecionadas para o momento gratificante, que faz bem para cada um dos participantes e, principalmente, para a Praça das Árvores, que recebe muitos eventos culturais, literários e sociais, como o “Empório Social”.



A entrega de todos na ação pedagógica é um ponto que chama a atenção sobre o projeto



Em dezembro do ano passado, inclusive, fui convidado pelo Camilo Filho para participar de mais uma edição do “Empório Social”. Na ocasião, tive a oportunidade de apresentar os exemplares do meu segundo livro, “Guerra urbana – o homem vida loka”. Foi tudo muito bonito, diga-se de passagem. O que acho muito bacana é a entrega de todos os envolvidos. As pessoas saem de suas casas com entusiasmo, o que é fundamental para que as plantas da praça “sintam” que são valorizadas.


“Concluímos o que estava previsto para o momento antes do tempo, graças à disposição do grupo que trabalhou com foco e determinação. Esclarecemos aos novos colaboradores que a ‘Jardinagem Pedagógica’ tem também atuação itinerante, quando convidada, e que a equipe realiza um evento por mês”, salientou Camilo Filho. Ao final das atividades, a Praça das Árvores ficou mais sustentável, pronta para ser usufruída pela população.



Todos os voluntários cuidam da Praça das Árvores com entusiasmo e comprometimento



Cuidar da natureza é dever de todos. Mas isso precisa ser compartilhado aos filhos desde cedo. No Brasil, é comum jogarem garrafas de refrigerante, papel amassado, embalagem de bombom e outros objetos no chão. Essas pessoas não conseguem guardar o material até encontrarem uma lixeira na rua. E ainda agem como se essa função fosse exclusiva dos agentes de limpeza. É uma atitude similar àquela dos moradores que cobram a polícia pela incidência de assaltos em um bairro, mas aplaudem os “tribunais do crime”.



Camilo Filho (o da direita) ao lado de outros voluntários do "Jardinagem Pedagógica"



Portanto, cuide do ambiente. Nós somos pessoas diferentes, mas vivemos no mesmo planeta. Tudo na Terra é compartilhado. A cidadania é o que nos coloca em outro patamar com relação à nossa condição de seres vivos. Faça sua parte. E lembre-se: a preservação da natureza começa dentro dos lares.

47 visualizações

© 2019 por Nelson Melo.